Castração: amor ou maldade?


Ilustração: Elisa Ferro (reprodução)

O aumento da população de animais domésticos nos últimos anos tem causado problemas cada vez maiores, principalmente no que se refere à saúde pública. Hoje no mercado existem diversos métodos que visam controlar esse crescimento e um deles é a castração. Considerada a alternativa mais segura e eficaz, a castração garante a esterilização, ou seja, o animal não terá mais capacidade de se reproduzir, além de ser um fator determinante na prevenção de inúmeras doenças. Muito se fala a respeito dos mitos e verdades que cercam esse tema, mas você sabe o que de fato é a castração? Para explicar mais sobre o assunto convidamos Maira Freitas, médica veterinária formada pela Universidade de Uberaba - UNIUBE, e especialista em clínica médica e cirúrgica de pequenos animais.



*Essa entrevista foi realizada à distância (via internet) obedecendo todas as recomendações de segurança e isolamento da Organização Mundial da Saúde de combate ao COVID-19*



Maira Freitas, médica veterinária.

1. O que é a castração?

(Maira) – “A castração é a retirada de útero e ovários nas fêmeas, e nos machos é a retirada dos testículos, com a finalidade de controle populacional e prevenção de doenças como: tumores mamários, neoplasias testiculares, mamárias, prostáticas e outros”.

2. Quais os benefícios do procedimento? Existe alguma contraindicação?

(Maira) – “São vários os benefícios da castração: diminui a incidência de agressividade, demarcação de território, fugas e principalmente atua como controle populacional. Nas fêmeas evita câncer uterino, mamário e piometra (infecção no útero). Em cadelas, a probabilidade do aparecimento de neoplasias mamárias é reduzida para 0,05% quando castradas antes do primeiro estro (cio), reduzido para 8% quando a castração é realizada após o primeiro estro e para 26% quando for efetivada após as fêmeas apresentarem dois ou mais estros. Nas gatas, essa probabilidade é reduzida para 9% quando é realizada antes dos seis meses de idade, para 14% antes de um ano e para 89% quando a castração é realizada entre um e dois anos de idade (OVERLEY et al., 2005). Nos machos evita câncer testicular e prostático. É um procedimento contraindicado em casos de animais que não podem ser submetidos à anestesia”.

3. Após castrado um animal pode entrar no cio novamente?

(Maira) – “Após a castração a fêmea não entrará mais no cio, só permanece ciclando quando tem ovário remanescente, isso ocorre quando a remoção do ovário é incompleta, permanecendo um ou até mesmo os dois ovários, ou quando ‘cai’ tecido ovariano no abdômen durante a cirurgia”.

4. O animal sente dor durante o procedimento?

(Maira) – “Não! A cirurgia para a castração é realizada com anestesia geral associada com alguns analgésicos”.

5. Qual é o melhor momento para realizar a castração em um animal?

(Maira) – “Nas cadelas o período indicado é entre o primeiro e o segundo cio, algumas cadelas quando castradas antes do primeiro cio tem infantilização das genitálias e aumento da possibilidade de apresentar incontinência urinária. Para gatas fêmeas é indicado a partir de 6 meses, gatos machos de 6 a 12 meses (dependendo do desenvolvimento da genitália do animal) e cães machos após completar esquema de vacinação, em média 6 meses”.

6. A castração pode engordar o pet?

(Maira) – “Após castrados os pets têm uma alteração em seus hormônios, por isso tendem a ficar mais calmos e preguiçosos. Para evitar que engordem, ofereça uma dieta balanceada e uma rotina de exercícios físicos equilibrada”.


Ao contrário do que muitos tutores pensam a castração não é um método cruel e doloroso, mas garante muitos benefícios e influencia consideravelmente na qualidade de vida do animal. Métodos contraceptivos como pílulas e injeções de anticoncepcional são soluções temporárias e baratas de acabar com a vida do seu pet. Sim, isso mesmo que você leu! Os medicamentos que prometem inibir o cio e garantir que as fêmeas não engravidem, na verdade são bombas de hormônios que causam tumores e infecções gravíssimas levando a morte se não forem tratadas o mais rápido possível.



Displasias e tumores mamários ocasionados pelo uso de anticoncepcional:


Um estudo realizado no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí mostrou que, "A administração de anticoncepcional foi associada com esta afecção (piometra), possivelmente por potencializar os hormônios sexuais endógenos e proporcionar o relaxamento da cérvix, permitindo a entrada de bactérias da microbiota vaginal para o útero", ou seja, animais que são submetidos a injeções de contraceptivos possuem mais chances de desenvolver algum tipo de problema de ordem hormonal. Castrar o seu pet é um ato de amor e cuidado, não utilize injeções ou medicamentos que possam colocar em risco a saúde do seu bichinho!


É importante lembrar que esse conteúdo não substitui uma consulta veterinária. Procure um médico especializado que possa realizar esse procedimento de maneira segura. Cuide do seu animal!




Leia o estudo na íntegra:

https://www.pubvet.com.br/uploads/6a63898f0c5d600d3692ed11b08bec2c.pdf




69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo